Experiência profissional: Móveis Planejados

Image

Arquiternura, é o nome de um projeto onde várias blogueiras estudantes de arquitetura, dividem suas experiências e impressões na área, as meninas me receberam com muito carinho no projeto!

Para conhecer um pouco mais do projeto, segue o link no blog da Thuany, que foi a ”mentora” do mesmo, hehe!

Olá, 

Hoje no Arquitenura, gostaria de falar um pouco sobre a experiência que tive trabalhando em uma loja de móveis planejados.

No final do meu segundo ano do curso, eu estava sem estágio e com as manhãs e tardes livres, já que em minha faculdade o curso é noturno, pois bem, diante dessa situação e depois deter passado um ano em um escritório eu queria ter outras experiências, foi então, que surgiu a oportunidade de trabalhar em uma loja de móveis planejados.

Entrei em uma loja que era uma franquia da fábrica Romanzza Planejados.

De início era para eu ser somente estagiária, mas como estavam precisando de funcionário na época em menos de um mês fui contratada, como vendedora projetista. Trabalhei lá por exatos um ano e aprendi muitas coisas, digo que foi o primeiro grande desafio profissional que vivenciei. Para ficar um pouco mais dinâmico a postagem, colocarei minhas considerações abaixo:

Funções exercidas e desafios:

  • Foi a primeira vez que tive contato direto com o cliente, pois era um atendimento bem personalizado. O cliente entrava na loja e eu mostrava todos os ambientes de nosso show room, depois disso, iniciava uma pequena entrevista, onde ele me falava sobre seus desejos e necessidades em relação ao projeto.
  • Algumas vezes o cliente já ia com a planta, mas muitas vezes não, então eu marcava um horário para poder ir em seu apartamento ou obra para tirar as medidas e só depois disso iniciava os estudos.
  • Com as medidas em mãos eu começava meus estudos, e montava um 3D dos ambientes solicitados.
  • O programa que utilizava era o mais usado na industria moveleira ou marcenarias é o PROMOB PLUS:

    O Promob Plus é um software desenvolvido especialmente para atender as necessidades de marceneiros e pequenos fabricantes. Totalmente em 3D, fácil de usar e muito flexível, permite que você crie projetos especiais sem complicações, com toda liberdade que o mercado sob medida exige.Totalmente em português, possui uma interface amigável com recursos intuitivos e muito visuais.  O software traz uma extensa biblioteca de móveis genéricos que podem ter todas as suas dimensões alteradas em altura, largura e profundidade e conta com uma completa biblioteca com itens de decoração e milhares de texturas de madeiras, pisos e acabamentos incluindo os principais fornecedores do mercado.Com o Promob Plus, você consegue demostrar ao cliente com mais realismo como seu futuro ambiente irá ficar.E além de projetar, o software auxilia nas definições para a fabricação. Apresenta um completo detalhamento com cotas e observações para impressão e integra-se aos principais sistemas de gestão e plano de corte do mercado.”  Maiores informações em: http://www.promob.com/pt

     Image

  • Com o projeto pronto, marcava um segundo atendimento com o cliente, onde apresentava o projeto, e juntos fazíamos alterações e muitas vezes refazíamos o projeto, até atender totalmente suas expectativas.
  • Quando realizada a venda, eu enviava o projeto por e-mail para a fábrica (os móveis eram produzidos na fábrica que ficava em Flores da Cunha – RS, os módulos e peças vinham prontos, e aqui na nossa cidade, nossos marceneiros, só realizavam a montagem.
  • Ao chegar os móveis, agendava a montagem com o cliente e acompanhava até o fim a montagem dos móveis.

Toda essa experiência complementou principalmente em dois sentidos meu processo de formação, primeiramente descobri que muitos arquitetos projetam ambientes, sem o menor planejamento de espaço necessário para as futuras instalações e mobiliário, que o mesmo receberá, deixando pouco funcional (o erro mais comum, são nas cozinhas, às vezes com muitas aberturas, de janelas e portas, dificultando a colocação de armários superiores e até mesmo coifa, outra situação comum, são quartos de casal minúsculos que mal cabem uma cama da casal convencional, aquela de 1.30m de largura, conheci muitos casais de clientes que pelo porte e estatura física ficariam muito desconfortáveis em uma cama de casal convencional, necessitando de uma queen ou king size, mais sem essa possibilidade, pois ou colocávamos a cama ou os armários ou acabávamos com qualquer possibilidade de circulação). Com essa experiência fiquei bestante condicionada a projetar meus ambientes sempre com um projeto de mobiliário junto, para ver se ”caberia” tudo no futuro. A segunda e tão importante coisa que agregou em minha formação, posso dizer que foi o fato de ter contato direto com o cliente, fazer entrevista, saber ler nas informações muitas vezes “escassas e jogadas” pelo cliente, para tentar acertar de primeira ou ter paciência para novamente escutá-lo e inciar muitas vezes do 0 o projeto. 

Vou colocar pra vocês, um dos projetos que fiz nessa época, é um sala de uma apartamento MRV:

Image  Image

 

Image  Image 

Veja também as experiência com arquitetura nos blogs das meninas: AlanaAliceCarolina e Pâmela.

 

Anúncios

3 comentários sobre “Experiência profissional: Móveis Planejados

  1. Oi Gi! Menina que responsa esse estágio/emprego que você arranjou! Eu morreria de medo de assumir isso! Mas não tenho dúvidas da experiência que adquiriu com esse emprego. Ter esse contato com os clientes e seus gostos peculiares logo de cara deve ter te ajudado bastante a lidar com essas situações…hahaha

    Ah, quanto ao que você me disse lá no blog..então, eu já pensei em seguir uma carreira exclusivamente acadêmica: um dia dar aulas, fazer pós, mestrado, doutorado… mas em ser representante de uma marca ainda não tinha pensado! Mas acho que ainda prefiro a parte de interiores… ou de restauro! hahahaha é muita indecisão! Torcendo pra me descobrir antes do fim dessa faculdade!hahahaha

    Curtir

  2. Caramba, Gi, que baita experiência! Deve ter sido bem legal, apesar do desafio e responsabilidade que você tinha. E em relação ao que você disse que vários arquitetos projetam sem nem mesmo pensar nos móveis, é um grande erro da parte deles, né? Afinal projetam só o ambiente e esquecem do resto! Depois o cliente tem que se virar com as coisas que eles deviam ter pensado durante o projeto mas não pensaram. Desde meu primeiro projeto na faculdade sempre fui estimulada a projetar junto com o layout. Acho que isso ajuda muito na hora de visualizar os espaços. E como faço tudo no Autocad e já existe a maioria dos blocos de layout prontos, facilita bastante o processo. Até comecei a me interessar mais por arquitetura de interiores depois de fazer esses últimos projetos de residência que fiz (e que estou fazendo nesse período), gosto muito de projetar já com layout direto.
    E muito legal você já ter tido contato com os clientes, de exercitar sua paciência, interpretar o que eles querem dizer, fazer, refazer, até ficar do jeitinho deles. Isso é algo que por não ter estagiado ainda não tive contato mas tenho bastante curiosidade sobre essa parte! 🙂
    Adorei o post! Beijos ♡

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s